22 dezembro 2007

Sem título de um sábado

Ah, tem um poema que encontrei aqui, acho que tem
um pouco de mim, mas sobretudo foi escrito no Inverno:

Nos encontraremos numa primavera
quando qualquer sol fizer de mim novamente lúcido

Estou tentando não ter medo de nós.

Aos poucos encontrar coragem para o teu chamado
Aos poucos aceitar que por onde eu fuja ou onde eu estiver
Ou mesmo que eu escreva e escreva e tenha dos piores pesadelos de histórias nunca lidas
Só liberdade no teu nome
que me acostumei em nem mais falar

Tenho praticado muito dessa coisa de não pensar em ti
E não cheguei ainda onde queria.

Nesses anos que se passaram eu aprendi a cozinhar um carinho que de encanto em encanto me leve aos céus e sabe que nesse tempo eu até tenho me alegrado por aqui...

Sim, eu poderia te enviar um email Uma carta, um outro sinal
Mas eu prefiro que quem quiser saiba que eu voltarei e, contigo, talvez volte a voar...
Sim, eu prefiro que todos saibam que eu desisti do mundo pra seguir enredo algum
nos teus dedos e quem sabe, por fim,

esquecer finalmente de mim
Postar um comentário