21 dezembro 2011

Dos meus olhos nervosos ao te ver em pensamento

Eu tenho intenções dos meus crimes
e o meu legado que um pouco é de amor
(e um pouco é de morte)

tem por batismo o teu nome

e nele - ao avesso - e sempre
entrego parte inteira de mim.

me encarrego apenas em viver
porque dos meus olhos nervosos
estão lágrimas que ainda não chorei.
Postar um comentário