15 julho 2009

represa

eu que te amei sem querer
agora menstruo mistérios
revolto ocasiões de uma tárd-ia solidão
e venho entregue
ser-te é algo impecável e pega-me: pega-me ao fim
quando dos meus neurônios tortos
eu puder relaxar
(sem dramin, sem outros artifícios, sem cor de rosa ou gotas de alívio).
pensa-me como alguém-algo, objeto-claro embora de restar cabisbaixo.

sorrio de ansiedade
e rio
como quem colocou represa.
Postar um comentário