19 junho 2012

De aniversário


publiquei um poema
que falava dos horrores
passados.

de aniversário
mandei fazer um local
bonito
onde eu esmagaria
os sonhos conservados

e surgiria forte
de aniversário
eu seria eternamente
meu: sem mais

porque sou muito e o bastante
e porque os fortes são
os que honram as dores
e as paixões: sem mais.

De aniversário eu fingi
que era belo: o amor.
Postar um comentário