10 abril 2009

Prescindir-te não

Tuas lágrimas ao longe
nordestinas. Numa casa grande.

Tuas lágrimas gritam meu semblante
esquece o nome que te destina
ao caos de ouro e tudo menos
eu
(que lhe daria)

E quanto insentos juntei
à tua coleção biológica

E quantas economias fiz de mim
por esses olhos
Postar um comentário